FIES X PROUNI, Qual a diferença?

O FIES e o Prouni são dois programas do Governo Federal que nasceram com o objetivo de promover e facilitar o acesso de estudantes ao ensino de nível superior.


Esses projetos compõem políticas públicas na área da educação, voltadas para a expansão da qualificação e ascensão profissional de jovens de baixa renda.


A principal semelhança entre os dois projetos é o uso da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) como critério de seleção. Neste artigo, porém, vamos entender as diferenças entre esses dois projetos, relacionadas a funcionamento e regras de inscrição. Fique conosco até o final.

O FIES e o Prouni são dois programas do Governo Federal que nasceram com o objetivo de promover e facilitar o acesso de estudantes ao ensino de nível superior.
prouni ou fies (imagem retirada do Google)

O que estes programas têm em comum?

O Prouni e o FIES são processos seletivos desenvolvidos e geridos pelo Governo Federal do Brasil para ajudar estudantes de baixa renda de todos os estados a ingressar no Ensino Superior.


Ambos abrem inscrições duas vezes ao ano, via internet e de forma totalmente gratuita.Além disso, fazem uso da prova do Enem como critério de ingresso, por meio de notas de corte. Esses aspectos levam muitos estudantes a fazer confusão sobre o funcionamento dos dois programas.

Diferenças entre FIES e Prouni

O ProUni, ou Programa Universidade para Todos, é um projeto que disponibiliza bolsas de estudos integrais(100%) e parciais (50%) para estudantes de baixa renda em faculdades e universidades privadas. Enquanto o FIES, é um financiamento estudantil instituído para o pagamento de mensalidades nessas faculdades.


Aqui, o percentual a ser financiado é determinado pela relação entre a faixa de renda familiar do estudante e quanto dessa renda pode ser destinada ao pagamento da mensalidade do curso. O limite de renda no ProUni é inferior ao do FIES.


Então, no Prouni o incentivo que o estudante recebe é uma bolsa de estudos e no FIES, um financiamento com condições mais flexíveis. No FIES, o estudante começa a quitar sua dívida um ano e meio após a conclusão do curso na forma de parcelas mensais, e paga os juros desse financiamento por meio de boletos trimestrais.

Veja também:

Prouni 2023, quem pode participar?

Fies 2023


A seguir, vamos ver as diferenças relacionadas aos critérios de classificação e processo de inscrição.

Critérios de classificação

Para disputar uma vaga no ProUni, o estudante precisa ter cursado o Ensino Médio em uma escola pública ou como bolsista integral, caso tenha estudado em uma escola particular. O segundo ponto é a renda familiar bruta, que não pode exceder 3 salários mínimos por pessoa.


O ProUni exige uma média mínima de 450 pontos no último Enem, e abre suas inscrições duas vezes ao ano, nos meses de fevereiro e junho. No final de cada período de inscrição são abertas ainda bolsas para vagas remanescentes, para contemplar aqueles que aqueles que fizeram o Enem numa edição anterior à última prova, desde 2010.


Para o FIES, é necessário ter renda familiar bruta mensal de no máximo 2,5 salários mínimos por pessoa. O programa também abre espaço para a inscrição de quem fez o Enem desde 2010, desde que tenha obtido média acima de 450 pontos e não tenha zerado a redação. As vagas são preenchidas de acordo com o desempenho no Enem.


As inscrições para o FIES costumam abrir após as inscrições do ProUni, entre o final de fevereiro e o início de março e no mês de julho. As inscrições do FIES também podem ser feitas por aqueles que já estão cursando o ensino superior.

Processo de inscrição

As inscrições para o ProUni são feitas pela internet. Ao longo do preenchimento de dados, o candidato deve escolher duas opções de curso, de acordo com as vagas disponíveis. Na data de divulgação dos resultados, o sistema terá preenchido automaticamente os selecionados em ordem decrescente pela nota do Enem.


Assim, aqueles que obtiverem as notas mais altas aparecem nas primeiras posições e entram para o programa até o limite de corte de vagas. Após isso, os selecionados devem comparecer à instituição de ensino em posse dos documentos selecionados para realizar sua matrícula e iniciar o período letivo.


Na inscrição do FIES, que também é feita online, as vagas também são preenchidas de acordo com o desempenho do Enem. No entanto, nesse processo o estudante precisa cadastrar-se em outro sistema para começar a regularizar o financiamento. Após isso, ele deve comparecer com a documentação necessária na instituição financeira na instituição de ensino pertinentes.


Para escolher a melhor opção, o estudante deve avaliar a condição financeira do estudante e seu desempenho na prova do Enem. Se o candidato não tem qualquer condição de custear o curso superior de sua escolha e não conseguir uma bolsa pelo ProUni – o que o deixaria isento de qualquer dívida após a conclusão de seu curso superior – tem ainda a opção do FIES, que lhe garante um financiamento com condições favoráveis.